Tag

melissa

Dinheiro

2016: um ano pra se viajar

25 de Fevereiro de 2016

Por Melissa Lüdeman


Será que dá? Saiba como economizar e se planejar para não deixar de viajar em 2016.

2016 começou gritando em alto e bom som: “não vai ser fácil”. O dólar que estava na faixa dos R$ 2,80 em fevereiro de 2015 hoje oscila na casa dos R$ 4.

Apesar de vários destinos interessantes não utilizarem esta moeda, a alta compromete a economia do mundo todo. Por isso, se você planeja viajar para países que tem o dólar ou o euro como moeda corrente, saiba que você terá que planejar e economizar bastante para tornar este sonho possível.

Mas, se você não quer correr o risco, vale repensar o seu destino e aproveitar opções mais baratas. O que não vale é abrir mão da sua tradicional viagem de férias este ano, viu? O Faniquito preparou algumas dicas importantes de economia para antes da viagem e durante o percurso para você aproveitar ao máximo, sem sustos lá na frente. Confira:


ANTES:

201601

• Pesquise sua passagem em sites especializados em passagens aéreas
Cadastre seu destino em sites como o Skyscanner e o Kayak, e receba e-mails periódicos que informam as variações de preço para o local e a data que você deseja.

201602

• Escolha seu destino de acordo com o seu orçamento
No site Adioso você diz o quanto quer pagar pelas passagens, e o serviço lista uma série de vôos disponíveis para a data que você delimitar.

201603

• Programe suas férias depois de encontrar um vôo perfeito
Se você tiver flexibilidade no trabalho, encontre uma tarifa que se adeque ao seu orçamento e depois marque o dia das suas férias. O site Melhores Destinos faz uma listagem diária das melhores promoções encontradas.

201604

• Pesquise o custo de vida dos lugares que você quer visitar
O Numbeo é o maior banco de dados online com informações sobre cidades e países do mundo. Dá para ter uma noção sobre a vida cotidiana do destino informações especiais para viajantes.

201605

• Parcele as passagens com antecedência no cartão de crédito
Comprar passagens antes é quase sempre mais barato, e você ainda pode parcelar no cartão de crédito com o bônus extra de acumular milhas. Programando direitinho, dá para chegar no dia do embarque com a passagem já quitada, e com uma preocupação a menos.

201606

• Acompanhe a cotação da moeda do seu destino
Saiba o valor de câmbio e aproveite os períodos de baixa cambial esporádica para comprar a moeda com antecedência. Comprar euros ou dólares regularmente também serve como reserva para viagens futuras.


DURANTE:

201607

• Pague o que puder em cash
Pague tudo que puder em dinheiro, e deixe os gastos no cartão de crédito apenas para emergências. Lembre-se, o custo de 0,38% de IOF sempre é melhor que os juros de 6,38% de qualquer cartão de crédito. E mais, você nunca saberá quanto estará custando o dólar quando a fatura do seu cartão fechar. Uma fatura que você pensou que sairia por R$1000,00 pode facilmente se transformar numa de R$3000,00 num piscar de olhos. Tome cuidado!

201608

• Alugue um apartamento ou casa
Se você vai ficar um período considerável em apenas um local, vale a pena alugar um apartamento ou casa que oferecerá o mesmo nível de conforto e localização que um hotel, saindo mais barato. Sites como o Airbnb, Tripadvisor e Booking tem várias opções de imóveis. Mas não se esqueça de pesquisar bem sobre o imóvel e cheque todas as informações relevantes com o proprietário para não ter surpresas.

201609

• Livre-se de preconceitos, e hopede-se num hostel
Os hostels são bem mais baratos que qualquer outra opção de hospedagem. Se engana quem pensa que são opções ruins. Muitos hostels tem qualidade similar a hotéis econômicos, e oferecem cafés da manhã fartos e com muita qualidade. O site Hostel Wold apresenta um vasto portifólio de Hostels do mundo e as avaliações das pessoas que já se hospedaram. Para deixar tudo mais seguro, é possível também reservar pelo site.

Em Londres, por exemplo, três diárias em fevereiro custam R$437,55 no Generator Hostel contra R$664,00 no Gresham Hotel Bloomsbury, ambos com a mesma qualidade e ótima localização.

201610

• Coma produtos de supermercado
Supermercados tem uma infinidade de produtos deliciosos, e podem substituir uma refeição rápida. Não é preciso abrir mão de restaurantes, claro, mas um piquenique no parque vai bem em qualquer viagem!

201614

• Evite utilizar o serviço de Roaming Internacional
As tarifas de roaming Internacional das operadoras são abusivas. Para não ter surpresas na volta, compre um chip pré-pago local e recarregue de acordo com a demanda. Se quiser economizar ainda mais, dispense o chip e aproveite todos os pontos de wi-fi possíveis, que hoje estão em todos os lugares.

201611

• Fique mais tempo em menos destinos
Translados, ônibus e aviões podem encarecer sua viagem e tomam um tempo precioso. Procure programar seu roteiro para passar mais dias em cidades maiores, e programe viagens menores de um dia para locais próximos.

201612

• Compre Passes Turismo para o transporte público
Muitas cidades do mundo oferecem bilhetes especiais para turistas. São várias opções de passes especiais que valem muito mais a pena do que os individuais. Para não fazer feio nem levar gato por lebre, pesquise antes como funciona o sistema de trasporte do destino que você visitará.

201613

• GPS Grátis
Você sabia que o Google Maps liberou a navegação para uso offline? Antes de viajar baixe os mapas dos destinos e economize o 3G.


BÔNUS: OS BARATOS DO MOMENTO

Montevidéu, no Uruguai
Para quem gosta de história, arquitetura e belas paisagens a capital Uruguaia é uma excelente opção. Dá para visitar muita coisa sem pagar nada por isso. Nos restaurantes, pagando contas com cartão de crédito, você se isenta de um imposto de 18,5%, uma bela economia, hein?
Passagens ida e volta (saindo de São Paulo): R$900,00 (média)
Hospedagem em Hostel: R$55,00 por diária (média)

Santiago, no Chile
Viajar pela América do Sul ainda é a opção mais barata entre os destinos internacionais. Economizando na passagem, dá para aproveitar sem culpa os passeios para o Vale Nevado e a Vinícola Concha Y Toro que custam em torno de R$150,00. Comer por lá também é uma pechincha, o jantar completo – com vinho -, sai por R$35,00.
Passagens ida e volta (saindo de São Paulo): R$910,00 (média)
Hospedagem em Hostel: R$75,00 por diária (média)

Bali, na Indonésia
Apesar do preço da passagem ser um pouco salgado, todo o custo adicional em Bali compensa. As maravilhosas praias e paisagens são atrações turísticas imperdíveis e gratuitas. Tem coisa melhor?
Passagens ida e volta (saindo de São Paulo): R$4.000,00 (média)
Hospedagem em Hotel 5 estrelas: R$130,00 por diária (média)

Istambul, na Turquia
Quer visitar dois continentes ao mesmo tempo numa só viagem? Seu destino é Istambul, a única cidade no mundo dividida entre a Europa e a Ásia. Já pensou a mistura interessante que a mistura entre oriente e ocidente dá? História e modernidade se colidem a todo tempo.
Apesar da passagem também ser mais cara, tudo por lá vale a pena, desde jantares que custam menos de R$25,00 a atrações turísticas que não passam dos R$30,00.
Passagens ida e volta (saindo de São Paulo): R$3100,00 (média)
Hospedagem em Hostel: R$30,00 por diária (média)


Se você quiser participar das publicações do Faniquito com suas histórias, curiosidades e dicas de viagem (e não importa o destino), é só entrar em contato com a gente por esse link. Todo o material deve ser autoral, e será creditado em nosso site.

Portugal

Castelo de Almourol, um tesouro bem escondido no interior de Portugal

5 de novembro de 2015

Por Melissa Lüdeman


“Todo momento é o melhor. Isso é iluminação.” – Eckhart Tolle

Há um tempo tenho tentado praticar uma filosofia de vida que muito tem me beneficiado “viver o momento presente”. Em minha última viagem de férias me descontectei o máximo possível das redes sociais, principalmente do facebook, postando só algumas imagens de lugares bonitos e curiosidades no instagram.

Meu namorado, pelo contrário fez uma espécie de diário fotográfico de viagem, postando no facebook um apanhado de fotos os lugares que havíamos passado. Foi numa destas publicações, que um amigo dele resolveu nos dar uma dica de viagem pra gente:

“Não deixem de visitar o Castelo de Almourol”.

Como estava bem no caminho do nosso roteiro, e havíamos alugado um carro para fazer o trajeto entre as cidades, não pensamos duas vezes e resolvemos encaixar o local no nosso planejamento do dia seguinte.

Chegamos na Vila Nova da Barquinha no fim da tarde depois de uma odisseia homérica na Serra da Estrela, e nos deparamos com um cenário maravilhoso, daqueles que marcam na alma da gente: brisa agradável, ambiente silencioso que nos elevava a um status de serenidade profunda.

Banhado pelo rio Tejo, o Castelo de Almourol teve um papel muito importante na história de Portugal: foi abrigo de da Ordem dos Templários durante a Idade Média, estes encarregados de povoar e conquistar e defender o território próximos a região. A construção jaz numa ilha, e o acesso ao Castelo hoje é proibido, fato que não prejudica em nada a experiência.

almourol02

O local é de fato, um presente. Lá pude descansar de um dia exaustivo, apreciar a beleza de um local abençoado pela natureza e viver uma experiência que não estava acostumada há tempos: pela primeira vez não pensei em nada, não desejei estar em outro lugar; estava com minha mente completamente vazia, apreciando o momento no qual estava inserida.

Hoje, ao resgatar esta lembrança, só consigo me lembrar de um trecho do livro “O Poder do Agora”, do querido Eckhart Tolle:

“Onde quer que você esteja, esteja lá por inteiro. Se você acha insuportável o seu
aqui e agora e isso lhe faz infeliz, há três opções: abandone a situação, mude-a ou aceite-a totalmente. Se você deseja ter responsabilidade sobre a sua vida, deve escolher uma dessas opções e deve fazê-lo agora. Depois, arque com as conseqüências. Sem desculpas. Sem negatividade.”

A beleza do local pode ser comprovada nas fotos abaixo.

almourol03

almourol04

almourol05

Aprendi uma coisa muito valiosa com o Castelo de Almourol: quando viajamos precisamos estar totalmente entregues ao momento presente, isto quer dizer, aproveitarmos cada segundo e estarmos dispostos a viver experiências fora do roteiro.

O planejamento é uma ferramenta muito importante para garantir que sua viagem seja bem sucedida, mas dar espaço para o novo é essencial para que cada momento seja único.

Muitas pessoas se preocupam tanto em seguir cronogramas e regras pré-definidas, que perdem oportunidades valiosas de viver experiências que não cabem numa tabela de excel. Imagina tivéssemos ignorado a dica do amigo, seguindo apenas o planejado? A resposta é muito simples: não teríamos conhecido um dos lugares mais bonitos que já visitamos em toda a nossa vida.

Permita-se você também. Sempre!


Se você quiser participar das publicações do Faniquito com suas histórias, curiosidades e dicas de viagem (e não importa o destino), é só entrar em contato com a gente por esse link. Todo o material deve ser autoral, e será creditado em nosso site.

Alemanha, Gastronomia

Freistaat Bayern: um passeio muito além da Oktoberfest

23 de Abril de 2015

Por Melissa Lüdeman


A Alemanha tem uma história carregada de significado. É impossível pensar no país e não se lembrar do massacre aos judeus durante a Segunda Guerra. Sem dúvida, o nazismo está enraizado na memória coletiva do mundo, mas é na parte sul do país que a lembrança é muito mais branda, e a população, muito mais alegre e receptiva.

A Baviera está localizada no Sul da Alemanha, onde o clima é mais ameno aos padrões tropicais dos brasileiros. No verão, as temperaturas podem chegar à média dos 30ºC – um deleite para turistas que não estão acostumados com o frio devastador.

Visão aérea do centro de Munique

Visão aérea do centro de Munique

Munique, uma das maiores cidades da região, é especialmente agradável. Além de ser palco do maior evento de cerveja, comida e música do mundo – a Oktoberfest –, também respira história, modernidade (ainda que comedida) e harmonia com a natureza.

É impossível chegar ao coração de Munique e não se apaixonar. A Praça de Carlos (Karlsplatz) é a porta de entrada para o centro. Além do Portão de Carlos (Karltor), uma parte da antiga muralha da fortaleza medieval que protegia a cidade, o local possui uma bela fonte no cerne da praça, um alívio refrescante para turistas que visitam a cidade no verão.

Karltor, o portão da antiga muralha medieval que cercava Munique

Karltor, o portão da antiga muralha medieval que cercava Munique

Fonte da Karlsplatz

Fonte da Karlsplatz

Seguindo adiante pelo Karltor, por meio da Neuhauser Strasse, é possível visualizar o prédio da Augustinerbräu*, a cervejaria mais antiga de Munique, fundada em 1328. Para quem gosta de cerveja, experimentar esta preciosidade é quase obrigatório.

Logo mais à frente, surge a Praça de Maria (Marienplatz), uma das mais bonitas praças da Alemanha, que abriga a antiga e a nova prefeituras (Altes und Neues Rathaus) no mesmo perímetro. A nova prefeitura, além de ser um prédio de beleza ímpar com uma arquitetura esplendorosa, possui no centro a Torre do Relógio, onde, todos os dias às 11h e às 17h uma procissão de bonequinhos saem de dentro do relógio para dançar.

Neues Rathaus na MarienPlatz

Neues Rathaus na MarienPlatz

Ainda no centro, podemos avistar de quase todos os lugares a Frauenkirche, igreja que foi parcialmente destruída na Segunda Guerra, e hoje está restaurada. Com suas cúpulas verdes marcantes e salão gigante, a igreja pode abrigar até 20.000 fiéis.

Para os que adoram comer, tenho duas dicas deliciosas e igualmente especiais para todos os tipos de bolso: o Viktualienmarkt, um mercado ao ar livre, e a cervejaria/restaurante Hofbräu.

O Viktualienmarkt é uma espécie de feira ao ar livre com tudo que há de melhor em comidas típicas bávaras, bem como temperos, mel caseiro, geleias, frutas maravilhosas e queijos de vários tipos. Prove tudo que lhe oferecerem e aprecie os aromas de cada barraca. Procure pelo Obatzda, uma pasta de queijo Camembert com páprica, cerveja e temperos e descubra que este é o acompanhamento perfeito para um bretzel tradicional.

Viktualienmarkt

Viktualienmarkt

A Hofbräuhaus foi fundada em 1589 pelo Duque William V da Baviera para uso próprio, a fim de evitar a fadiga que era ter que comprar a cerveja direto da Saxônia. Apenas depois de um tempo, em 1828, a cervejaria foi aberta ao público. O local é bastante amplo, com espaços em áreas internas e externas (ou biergarten, como eles costumam chamar os lugares onde se toma cerveja ao ar livre), e mesas no melhor estilo bávaro de ser: dois bancos grandes com uma mesa de madeira no meio. A decoração é simples, mas muito bonita, e o teto com pinturas é um espetáculo à parte.

Interior da Hofbräuhaus

Interior da Hofbräuhaus

Além de tomar o Maß de cerveja Hofbräu, ou HB para os íntimos – que na minha opinião é uma das melhores cervejas do mundo –, você poderá experimentar pratos típicos da Baviera: eisbein (joelho de porco)schweinsbraten (bife tenro de porco com batatas), würstplate (poutporri com várias salsichas alemãs), apfelstrudel (torta de maçã), entre outros, sempre regado a muita música tradicional.

Schweinsbraten com batata

Schweinsbraten com batata

O passeio pelo centro de Munique pode ser feito em um dia, para aqueles que tiverem pressa, ou em dois, para ter um pouco mais de folga para curtir cada detalhe. Acompanhe um dos muitos guias que transitam pelo local e conheça muitas histórias. Vale muito a pena!

Afinal, “In München steht, eins, zwei, g’suffa!” (Aqui em Munique – um, dois, nós bebemos!).

Eu, e a minha querida e amada Maß

Eu, e a minha querida e amada Maß


Se você quiser participar das publicações do Faniquito com suas histórias, curiosidades e dicas de viagem (e não importa o destino), é só entrar em contato com a gente por esse link. Todo o material deve ser autoral, e será creditado em nosso site.

*Nossos textos não são patrocinados. A gente indica aquilo que a gente gosta/aprova, porque isso também ajuda na viagem alheia. Simples assim.

Gastronomia, Irlanda

Irish breakfast

15 de Janeiro de 2015
Teste

Por Melissa Lüdeman


Sausages, bacon, black pudding, white pudding, ovos, tomate, batata, feijão doce, cogumelos e torradas. Um cardápio que parece pesado para degustar nas primeiras horas da manhã, mas, na verdade, é um abraço gastronômico.

Antes de morar em Dublin, torcia o nariz para a ideia de comer feijão no café da manhã, ainda mais a versão doce – que é a opção tradicional na terra do Leprechaum. Achava insano e jurava de pé junto que não iria gostar nada desta combinação bizarra de bacon + cappuccino. Mas, como acho válido experimentar sabores diferentes, resolvi encarar a empreitada num belo – e chuvoso – domingo, pós-bebedeira.

O Full Irish Breakfast – ou Café da manhã Irlandês completo – é o verdadeiro menu viking! Composto por aproximadamente nove ingredientes principais – podendo variar de acordo com o restaurante – é uma refeição que sacia e segura sua fome durante um dia inteiro, acredite, e pode ser uma poderoso remédio para curar uma ressaca dublinense.

Ainda não acredita que pode ser muito saboroso? Saiba mais sobre cada item do prato e dê uma chance:

Ovos fritos – é o tradicional zoião com gema mole. Geralmente o prato vem com duas generosas unidades;
Sausages – são as salsichas embutidas tradicionais da Irlanda. O sabor é similar a uma lingüiça assada, mas não tão saborosa quanto;
Bacon – na Irlanda eles utilizam uma parte mais nobre do porco para produzir o bacon, que parece um lombo com uma quantidade ideal – e nada enjoativa – de gordura, cortado em fatias milimétricas;
Black Pudding – um embutido feito basicamente com sangue de porco e aveia – a ideia parece detestável, mas é delicioso;
White Pudding – outro embutido muito similar à versão Black, mas sem o sangue, feito basicamente com carne de porco, gordura e farinha de aveia – é muito gostoso;
Feijão doce – é uma versão de feijão branco, com sementes maiores – temperada com molho de tomate. Na Irlanda é muito comum encontrar este tipo de feijão já pronto sendo comercializado em latas pela marca Heinz;
Batatas, tomate e cogumelos – geralmente são servidos em pedaços rapidamente salteados numa mistura de azeite com ervas;
Torradas – simples, feitas com pão de forma branco.

Desejou?

Desejou?

Além da Irlanda, este prato é muito comum no desjejum de países como a Inglaterra e Escócia – com algumas alterações de ingredientes e apresentação do prato, dependendo da região.

Não existe um ritual para comer o prato, o ideal é libertar o visigodo que existe dentro de você e mandar tudo pra dentro. Minha dica especial é passar manteiga na torrada e colocar o feijão por cima – SIM, PÃO COM FEIJÃO -, é simplesmente delicioso. Ah, não se esqueça de reservar uma fatia de torrada para ‘chuchar’ na gema do ovo.

Se estiver em Dublin, recomendo dois locais muito famosos pelo Irish Breakfast:

Third Space
Unit 14, Smithfield Market, Dublin 7
http://www.thirdspace.ie/

Lemmon Jelly
Millennium Walkway Dublin 1
http://www.lemonjellycafe.ie/


Esse é nosso primeiro texto com colaboração externa! Se você quiser participar das publicações do Faniquito com suas histórias, curiosidades e dicas de viagem (e não importa o destino), é só entrar em contato com a gente por esse link. Todo o material deve ser autoral, e será creditado em nosso site.